sábado, 26 de junho de 2010

A árvore e a santidade

       O bispo foi visitar um mosteiro. Olhando pela janela, fitou o olhar numa árvore frondosa e secular. Nisto viram passar diante da árvore um homem que se lhe dirigiu dizendo-lhe algo. E a árvore floresceu.
       O bispo admirado, disse ao monge:
       - Viu o que sucedeu?
       - Sim, senhor bispo. Às vezes acontece. É coisa de santos.
       E passou depois um outro homem que também saudou a árvore, e esta imediatamente se encheu de frutos. Diz o bispo:
       - Este homem também deve ser um santo!
       O prelado estava cada vez mais admirado. Passado algum tempo, passou um mendigo. Disse algo à árvore. E nesse instante os frutos da árvore caíram a seus pés. O mendigo recolheu-os e seguiu o seu caminho. O bispo disse ao monge:
       - Este também deve ser um santo!
       Passou outra pessoa que também saudou a árvore e esta, para surpresa de todos, ficou com uma cor encarnada. O bispo comentou:
       - Este, pelo contrário deve ser um grande pecador.
       O monge respondeu: Não, irmão. Esse pobre homem louvou a Deus pela beleza da árvore e esta, que desconhecia ser tão bela, corou.

Autor desconhecido

2 comentários:

DE MÃOS DADAS disse...

Que lindo
E que bonito a simplicidade e a humildade em destaque
Abraço amigo
Que Deus o abençoe
Utilia

Pe. Manuel Gonçalves disse...

Deus manifesta-Se não no vendaval mas na brisa suave. Assim também nós, não precisamos de fazer coisas extraordinárias, mas tão somente de deixarmos que venha ao de cima o que de mlehor há em nós, a presença de Deus em nós.
Obrigado pela reflexão e pela presença amiga