sábado, 3 de abril de 2010

Caixa (vazia)... de beijos

É uma história que já vimos, em formato de texto ou em formato de diapositivos. Agora encontramos-lhe a origem, no livro "Pegadas na Areia", escrito em 1993, editado este ano em Portugal:
Margaret, autora de "Pegadas na Areia" (poema e livro)
e Paul vivem casados há meia dúzia de anos.

Ela deixou o ensino para o seguir.
Vendem a empresa de que são proprietários.
Têm pouquíssimo dinheiro, e duas filhas.
Margaret ameaça deixar Paul.
Estão à beira da falência no que ao casamento diz respeito.

É o Natal de 1972. Batem no fundo.
Paul consegue à volta de 40 dólares,
das igrejas (baptistas) onde ia pregar.
Dá-os à esposa para comprar artigos de mercearia,
depois de ter posto gasolina no carro.

Margaret surge feliz por ter comprado algumas pechinchas.
Paul fica zangado, e ainda por cima a filha mais velha,
Tina, comprara um rolo de papel dourado para embrulhos.
Em casa embrulham alguns presentes para levar para a família.
Paul manda a filha buscar o papel dourado.
Como ela demorasse vai ao seu encontro.
Encontram a filha com três tesouras,
fita-cola e folhas do papel dourado.
Tina gastou todo o rolo a tentar embrulhar
uma espécie de caixa de sapatos.
Paul agarra Tina por um braço e dá-lhe fortes palmadas,
deixando-a a chorar e a gritar. Margaret fica em estado de choque.
Paul repete o que o alcoolismo do pai havia feito com ele durante a sua infância.

Na manhã seguinte, Paul tropeça
e quase cai em cima da caixa embrulhada pela filha.
Tina corre para a caixa, e entrega-ao ao pai como presente.
Dando-se conta que a caixa parece vazia,
Paul rasga rapidamente o papel e vê que a caixa está vazia.

Paul repreende a filha:
"Christina! Não sabes que deves pôr qualquer coisa
numa caixa antes de a embrulhares como presente?".

A pequena, com as lágrimas a correrem-lhe pelo rosto, responde:
"Mas, Papá, eu pus uma coisa lá dentro.
Soprei beijos para dentro dela! Está cheia de amor só para ti!".

Margaret Powers, Pegadas na Areia. Estrela Polar. Alfragide 2009.

2 comentários:

Zé Gusmão disse...

ALELUIA! CRISTO RESSUSCITOU!

Morte e Vida combateram um duelo prodigioso, mas o Príncipe da Vida reina vivo após a morte!

UMA SANTA PÁSCOA!

Pe. Manuel Gonçalves disse...

Vivamos como filhos da Ressurreição, como ressuscitados na água e no Espírito Santo. Santa Páscoa. Obrigado